Shake It consolida posição e reforça soluções digitais para todo o tipo de eventos

Por o 3 Setembro 2019

Com mais de 5 anos de experiência no desenvolvimento de Apps, plataformas digitais, micro-sites e conteúdos digitais para todo o tipo de eventos, a Shake It alcançou um posicionamento único junto dos seus clientes, graças a uma “receita” simples, mas valiosa: aproveitar a tecnologia para ligar as pessoas e personalizar cada evento de forma a torná-lo numa experiência única e memorável.

Em entrevista, Miguel Carneiro, CEO da Shake It, partilha alguns exemplos da performance digital da empresa, que incluem um rally paper digital realizado num congresso, um quiz com recurso a televoto capaz de juntar vários países e até um puzzle digital feito com fotografias de colaboradores que foi exibido numa LED Wall gigante.

Conheça um pouco da história da Shake It, um dos Partners da CEGOC no âmbito do Business Transformation Summit.

 

 

Apps para evento, plataformas digitais, micro-sites ou conteúdos digitais são algumas das vossas áreas de especialidade. Como é que a Shake It vê a evolução destas áreas e trabalha para se diferenciar no mercado?

 

Miguel Carneiro (MC): Temos consolidado a nossa posição, aproveitando a experiência passada para consolidar também o futuro. Por um lado, os já 5 anos de experiência na área digital aplicada a todo o tipo de eventos dão-nos uma visão que nos permite ir além da implementação técnica – para ajudarmos, de forma próxima, cada cliente a decidir o que é melhor para o seu evento. Por outro lado, o facto de (quase) nunca dizermos “não” a um desafio, faz com que as nossas soluções sejam cada vez mais robustas e flexíveis. Começámos por interpretar um evento como uma conferência, mas ao alargar esta visão a festivais, reuniões corporativas, feiras, formações e outros eventos, começámos a perceber que todos têm mais em comum do que parece. Quem organiza um evento, quer sempre que este seja marcante – e a tecnologia apresenta um posicionamento único capaz de ligar pessoas e personalizar essa experiência.

 

– Quais acredita que serão as grandes tendências e desafios para a Shake It na área da Tecnologia para Eventos?

 

MC: Vejo os clientes cada vez mais confiantes em trazer a tecnologia para o centro dos seus eventos. Uma tendência antiga que gostava de ver continuada (por mais razões do que uma) é a abolição do papel e de qualquer material descartável, e orgulha-me trabalhar numa área que contribua para isso. A desmaterialização que está a acontecer no mundo dos eventos traz enormes vantagens do ponto de vista da eficácia e da sistematização do conhecimento gerado ou transmitido num evento – por outro lado, um dos maiores desafios é usufruir destas vantagens sem retirar demasiado ao contacto humano. Creio ainda que uma das principais tendências da tecnologia, a Internet of Things (IOT), vai contribuir para isto, fazendo com que a digitalização seja feita de forma fluída através de sensores e mini-computadores que detetam informação sem obrigar as pessoas a olhar apenas para o ecrã. Outro dos balanços sensíveis nesta área é a Inteligência Artifical versus a Privacidade dos utilizadores: quanto mais o sistema do evento souber sobre o participante, mais o poderá ajudar, porém é preciso gerir bem este equilíbrio, informar os participantes e conhecer a legislação.

 

– Como é que a Shake It tem acelerado a sua performance digital nos últimos anos?

 

MC: Nos últimos meses, temos apostado em alargar a nossa oferta de Apps de evento para criar todo o tipo de experiências digitais. O engagement dos participantes é um dos principais KPIs para qualquer organizador de eventos e temos conseguido criar soluções através de quiosques digitais ou jogos dentro da própria App que mostram que este é um caminho a seguir para atingir este objetivo. Este alargamento de funcionalidades aliado à abertura das mentalidades proporcionou-nos um novo mercado, que estamos agora dedicados a explorar.

Três exemplos de sucesso que desenvolvemos: 

1. Os participantes do Congresso de Cardiologia 2019 participaram num rally paper digital no qual completavam, ao longo dos 4 dias de congresso, uma série de desafios que culminava com a atribuição de uma medalha digital. Com recurso a scan de QR-Codes escondidos, resposta a perguntas e partilha de fotos, a ação envolveu participantes, organização e expositores.

2. Num evento de uma farmacêutica com objetivo de bonding dos vários países da mesma área terapêutica, fizemos uma competição chamada Country Quiz, que funcionou através de televoto na App com perguntas sobre a cultura de cada país – o que contribuiu para uma experiência intercultural agradável e produtiva.

3. Numa LED Wall enorme, fizemos uma interação em que cada participante de uma empresa contribuía com a sua foto de perfil da App. No final, construímos um puzzle de caras que, juntas, formavam o logotipo da empresa.

4. Nas festas do DJ Kamala, os participantes utilizam a App do evento para pedir bebidas, partilhar fotos, conhecer outros participantes e até pedir músicas ao DJ.  Estas potencialidades promovem a união do público através da tecnologia e transformam a experiência do evento, para o melhor, claro.

 

– O tema do Business Transformation Summit de 2019 é precisamente a Aceleração. Por que é que decidiram juntar-se à CEGOC como Partners e quais as principais mais-valias desta parceria para a Shake It?

 

MC: É um evento que admiramos pela abertura, ambição e foco na inovação. São valores que se enquadram connosco, vemos muito valor e temos orgulho em contribuir para o sucesso deste evento.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe