Megashifts

Por o 8 Junho 2017

Face às tecnologias exponenciais e transformações em curso… Que oportunidades e desafios teremos de considerar e superar neste contexto? Como podemos minorar o impacto negativo dos avanços tecnológicos sem anular as suas vantagens? Conheça e compreenda as “Megashifts” que vão ajudar a fazer crescer o seu negócio.

 

 

Devido às mudanças tecnológicas exponenciais e à forma como as suas forças estão a combinar-se, existem tendências que são absolutamente essenciais entender, pois podem criar grandes e novas oportunidades – ou desafiar modelos de negócios existentes, contratos sociais ou até a humanidade em geral.

As Megashifts (ideia-chave do livro “Technology vs Humanity”), são mais do que mudanças de paradigma que afetam uma esfera da atividade humana. As Megashifts chegam de repente para transformar a base de indústrias e sociedades inteiras.

As Megashifts não substituem o status quo por um “novo normal” – mas geram forças dinâmicas contínuas que moldam a vida como a conhecemos de forma imprevisível. Como tal, as Megashifts reconfiguram radicalmente a relação antiga entre o nosso passado, presente e futuro. As megashifts mudarão mais a nossa realidade nos próximos 20 anos do que os 300 anos anteriores, e a sua compreensão, hoje, é necessária para fazer a diferença, amanhã.

 

 

As Megashifts

Estas megashifts são a chave para o sucesso futuro:

  • Digitization: tudo o que puder ser digital tornar-se-á digital.
  • Mobilisation: a computação já não está a acontecer em cima de uma mesa, num desktop – tudo é móvel.
  • Screenification: tudo o que pode ser exibido num ecrã, será.
  • Disintermediation: muitos intermediários tradicionais estão a sofrer nesta era digital porque a tecnologia torna possível “ir direto” à pessoa. Os exemplos incluem rótulos, editores, publicidade (as marcas podem agora contar as suas histórias sem TV ou recurso à impressão).
  • Datafication: tudo o que costumava acontecer entre as pessoas (que não era gravado), está agora está a ser transformado em dados (exemplo: registos médicos eletrónicos versus falar com o médico presencialmente).
  • Intelligization: tudo o que costumava não possuir inteligência agora está a tornar-se conectado e inteligente, como gasodutos, carros, etc.
  • Automation: um grande fator em relação ao desemprego tecnológico (devido à automatização de tarefas).
  • Virtualization: não são apenas coisas físicas em algum local, mas uma “instância” na cloud (por exemplo: rede definida por software em vez de routers locais, amigos virtuais, etc.).
  • Augmentation: o ser humano pode usar cada vez mais a tecnologia para aumentar as suas próprias capacidades, isto é, ser omnisciente, omnipresente, omnipotente e tornar-se um tipo de super-humano. Os exemplos deste aumento incluem “relógio inteligente”, “óculos inteligentes”, realidade aumentada e virtual, assistentes digitais inteligentes e (mais cedo ou mais tarde) interfaces cérebro-computador (BCIs) e implantes.
  • Anticipation: já existem softwares que podem prever o nosso comportamento, até mesmo crimes.
  • Robotization: até trabalhos especializados serão, em breve, feitos por robôs.

 

Veja este vídeo sobre as Megashifts.

 

E acrescento ainda estas duas ideias, que serão alvo de atenção num próximo artigo:

  • De-humanization: tirar os seres humanos da equação, retirando uma tarefa complexa de execução humana e atribuindo-a a máquinas.
  • Re-humanization: perceber que os seus clientes não compram tecnologia – eles compram relacionamentos! Assim, o valor da marca é determinado, cada vez mais, pelo humano!

 

Face às tecnologias exponenciais e transformações em curso…

  • Que oportunidades e desafios teremos de considerar e superar neste contexto?
  • Como podemos minorar o impacto negativo dos avanços tecnológicos sem anular as suas vantagens?

 

No dia 17 de outubro de 2017 estarei em Lisboa, no Business Transformation Summit da CEGOC para falar sobre estes temas:

  • Conferência: Towards Exponential Growth – Antecipar o futuro num mundo de Tecnologias exponenciais
  • Transformation Lab: Tirar partido das “Megashifts” para fazer crescer o seu negócio



Saiba mais sobre Megashifts.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *